sábado, 21 de março de 2009

AVIVAMENTO

Publicado no Boletim nº 2438 do dia 22 de Março de 2009.


Há uns dois anos preguei um sermão do Dr. Russel Sheed intitulado “A URGENTE NECESSIDADE DE AVIVAMENTO”. Alguns irmãos me pararam à porta e, como poucas vezes, mostraram-se maravilhados com aquelas palavras. Não perdi tempo: na semana seguinte reproduzi nesta seção do boletim os vários argumentos que mostravam quando o avivamento é absolutamente necessário.

Pois bem, mas o que é mesmo um avivamento? Avivamento tem sempre haver com a manifestação presente e atuante do Espírito Santo nas pessoas e na igreja. Vejamos como John Stott define avivamento: “... é uma visitação inteiramente sobrenatural do Espírito soberano de Deus, pela qual uma comunidade inteira toma consciência de sua santa presença e é surpreendida por ela. Os inconversos se convencem do pecado, arrependem-se e clamam a Deus por misericórdia, geralmente em números enormes e sem qualquer intervenção humana. Os desviados são restaurados. Os indecisos são revigorados. E todo o povo, inundado de um profundo senso de majestade divina, manifesta em suas vidas o multifacetado fruto do Espírito, dedicando-se às boas obras”.

Avivamento não é pentecostalismo. É fato que a descida do Espírito Santo, conforme relata o livro de Atos dos Apóstolos aconteceu, pela primeira vez, por ocasião da festa de Pentecostes. Daí vem a associação de evento com o outro. O avivamento acontece também em igrejas tradicionais e históricas e nem por isso estas igrejas deixam de ser como são ou mudam sua denominação. Igreja avivada é quando em seu momento histórico ela vivencia aqueles acontecimentos comuns ao reavivamento que citamos acima. Isso pode acontecer em um pequeno espaço de tempo, ou em um tempo de longa duração. Há relatos de igrejas que experimentaram um reavivamento que durou 5 ou 10 anos.

O fato é: o avivamento pode durar pouco tempo, mas suas conseqüências podem marcar para sempre a vida da comunidade. Na revista Ultimato deste mês, o editor nos orienta sobre esta questão: “Sob o ponto de vista histórico, avivamento é aquele curto período de tempo em que o Espírito atua maciçamente no meio de um grupo de crentes de um determinado lugar, levando-o a buscar a Deus de forma intensa, deixando de lado a rotina, a frieza, a inércia e os escândalos, tudo para engrandecimento de seu reino. O avivamento em si pode durar pouco tempo, mas os efeitos que ele produz podem ser duradouros.”

Falar, pregar ou escrever sobre avivamento não gera avivamento por si só. Pois avivamento é resultado de uma visitação especial de Deus sobre a comunidade. Todavia vale lembrar que estas atitudes estão elencadas pelos historiadores como os elementos antecedentes de grandes avivamento. Lloyd Jones afirma que a pregação poderosa da Palavra é um deles. Avivamento é, antes de tudo, um alargamento da conversão, é uma intensificação da sua relação com o Deus santo. Portanto, coloquemo-nos diante do Pai para que venha sobre nós esta graça.

Com carinho,
Pr. Marcelo, em 20/03/2009

Nenhum comentário: